segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Confessionário;


Sou o mesmo
Medito
Meço a vida em goles
Minto
Verdades que são só minhas.

O tempo mudou
Gatos voam nesse verão
Aqui ainda é cinza
Minto
Sou cego

Lá fora, meu deus, lá fora
Sinto!
O ar quente da cidade
Cheiro de gente. Suor!
Sente?

O olho segue o passo
O caminho sinuoso de tuas ancas
Aventura sem honra
Vê?

Sou o mesmo
A vida na garganta
Mentiroso
Cego
Sentimental!

3 comentários:

Ela disse...

é mesmo um homem, velho.

Flávia disse...

Na malícia... Não cale na boca notícia ruim. Você diz a verdade.

A verdade é seu dom.

De iludir.

Gabriella disse...

pq tenho saudade de se nem te conheço?
será pq te somei aos meus dias através do "nosso" Guh?
será que te ter nos meus dias vem se tornando necessidade assim como fiz deste nosso amigo necessidade para um dia rico em sorrisos?

pq some?

abraços.