terça-feira, 11 de agosto de 2009

Manifesto ao extraordinário;


Eu sou milhares
E ando sem sapatos apertados
Sem nó na garganta
Meu choro é livre e deliciosamente doce

Fumaça, elevador, poeira
Chão firme em passadas largas
"O extraordinário é a prioridade"
Gritemos!

Utopia primaveresca do futuro
Galope no ventre da madrugada
Porque é tempo
De manhãs vermelhas

Nessa página nova e invertida
Dias e noites serão sempre
Calçados com esperança
Nos pés que dançam ciranda.

4 comentários:

Luana H. disse...

''Porque é tempo
De manhãs vermelhas''

Com um saborzinho de Clarice.


E a festa não é a melhor hora pra se chegar?

=)

Que a festa traga-o sempre pra minha sina... ou a Sina Nossa.


Grande beijo.

Ela disse...

e que a ciranda não cesse, nem a música, nem a esperança!
:*

M. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mariana. disse...

dá cá um poquinho dessa tua nova esperança ;*